Tuesday, July 17, 2007

Atira tudo o que tens

Parece que o LOBO tem pêlo rijo. Literalmente.

O Café das Artes dificultou-nos a vida desde o momento que chegamos ao momento que partimos. A pele do bombo rompeu na terceira música. Tocamos debaixo de um calor abrasador pois o Ar Condicionado não funcionava. E Last but not least o som de "palco" estava uma lástima.
Ainda assim o LOBO tocou com garra e alma e mostrou os dentes.
Obrigado aos cerca de cem amigos que estiveram presentes, foram vocês que tornaram a noite inesquecível.



Atira tudo o que tens

Estou mais forte sem o ser
do meu lado está ninguém
A minha arma o Querer...



2 comments:

marmara said...

SÓ MAIS UMMMMAAAAAA!!!!!!!

Pedro Madureira said...

LOBO @ Café das Artes - 14/07/2007
Não é, nunca foi, nem será meu hábito, manifestar publicamente o meu desagrado perante os promotores de espectáculos ou, neste caso, proprietários de locais do circuito de concertos que - vá-se lá saber por que razão... - ganharam aversão a tudo que é banda portuguesa; mas neste caso foi mais forte que eu.

Neste caso também, será mais uma demonstração - espero eu que pública - de repúdio e não desagrado. Acho "desagrado" um termo que peca por ser demasiado brando.

São a todos os títulos lamentáveis e de despudorada má-fé as atitudes manifestadas pelo proprietário daquele recinto desde que a banda entrou no local (às horas, diga-se, combinadas) e até que terminou o espectáculo.

O dito responsável pelo recinto não só manifesta total desconhecimento do que é a arte de bem receber e do muito em voga "Customer Care", como também incute o espírito de má-educação e brejeirice em alguns dos seus (felizmente, não todos...) colaboradores.

É lamentável que um representante de uma casa que se quer respeitável e que está agregada a uma das instituições mais importantes da cidade do Porto (o Teatro Campo Alegre) paute a sua conduta por uma extrema falta de "chá" e de desrespeito por quem lhe vai dar (muito) dinheiro a ganhar.

Pedro Madureira